Acompanhe aqui as últimas notícias e atualizações

21 de outubro de 2014

BETO RICHA manda funcionários públicos do Paraná reduzirem gastos em 30%

Do G1

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), determinou nesta segunda-feira (20), que todos os órgãos da administração direta e indireta do governo estadual reduzam imediatamente os gastos em 30%. A medida, segundo o governo, busca fazer o ajuste fiscal deste ano. Apenas as verbas destinadas à segurança pública e à educação não devem ser afetadas.

Segundo o governo, os funcionários públicos deverão cortar gastos em itens como água, energia elétrica, telefonia, cópias de documentos, correios e até limpeza e conservação de espaços públicos. Também foi determinada a redução de gastos com diárias, combustíveis e passagens aéreas e terrestres. Para ajudar na economia, a frota de veículos públicos deve ser reduzida em 30% até o fim deste ano.

Os órgãos públicos estão proibidos ainda de fazer compras de materiais de consumo ou permanentes, salvo em caráter emergencial. Verbas especiais devem ser devidamente justificadas para a Secretaria da Fazenda, que vai analisar caso a caso.

De acordo com o governo, o dinheiro reservado para a compra de alimentos da merenda escolar e de presídios e unidades de aplicação de medidas socioeducativas está garantido e não deve ser alvo das reduções orçamentárias.


Gastos no limite

Desde 2013, o governo do Paraná tem sofrido para adequar os gastos públicos à Lei de Responsabilidade Fiscal, ainda que tenha conseguido aumentar a arrecadação de impostos. Há cerca de um ano, policiais reclamavam que lhes faltava dinheiro para comprar gasolina e para a manutenção dos carros que compõem a frota. Além disso, vários fornecedores de produtos e serviços ficaram meses com os pagamentos atrasados.

À época, o governo creditava o problema a um empréstimo que não recebia o aval do Governo Federal, no valor de R$ 817 milhões. A União dizia que não liberaria o dinheiro porque o Paraná não tinha cumprido a lei que obriga os estados a investirem 12% da arrecadação na saúde. O impasse foi resolvido apenas neste ano, com uma decisão do Supremo Tribunal Federal, que obrigou a União a liberar os recursos.

Com o empréstimo neste ano, o governo conseguiu um alento nos gastos. Segundo o Executivo paranaense, em dado momento, a dívida com os credores chegou a cerca de R$ 1 bilhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário