Acompanhe aqui as últimas notícias e atualizações

5 de novembro de 2014

Wosgrau é processado pelo MP-PR por irregularidades na Arena Multiuso

A 12.ª Promotoria de Justiça de Ponta Grossa ajuizou ação civil pública, por ato de improbidade administrativa, contra o ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho, nas gestões de 2005/2008 e 2009/2012, o ex-secretário de Planejamento, José Ribamar Krüger e a empresa Endeal Engenharia e Construções Ltda e seus dois sócios, por irregularidades na licitação e execução das obras da Arena Multiuso. O Ministério Público da comarca aponta que a obra, orçada em quase R$ 9 milhões, além de estar paralisada há cerca de dois anos, tem banheiros transparentes, quadras esportivas fora das dimensões oficiais, infiltrações de água, salas sem ventilação, entre outros problemas estruturais.

À rádio T FM, o ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho disse que até agora não teve nenhuma informação oficial do caso e enquanto não receber uma intimação judicial que declare essas informações, ele não irá se pronunciar.

Segundo a ação, o município, no ano de 2008, realizou empréstimo junto à Agência de Fomento do Paraná, no valor de R$ 6,8 milhões, para financiar o projeto de construção do complexo esportivo. A execução da obra foi licitada pelo preço máximo de R$ 7,5 milhões, na modalidade concorrência pública do tipo menor preço.

A vencedora foi a única empresa que participou do certame licitatório e o contrato, inicialmente, foi estipulado no preço global de R$ 7,2 milhões. No entanto, o contrato recebeu 15 aditivos que, no total, aumentaram o valor para R$ 8,7 milhões - R$ 1,4 milhão acima do valor inicialmente estipulado.
O ex-secretário municipal de planejamento, José Ribamar Krüger, afirma que vai esperar ser notificado oficialmente e depois disso apresentará toda documentação necessária para esclarecimento dos fatos.

O MP requer, à Justiça, que seja decretada a indisponibilidade de bens dos requeridos, com o intuito de salvaguardar o ressarcimento ao erário, bem como a condenação de cada um nos termos da Lei 8.429/92, de improbidade administrativa, que incluem proibição de contratar com o poder público, eventual perda de função pública e ressarcimento dos danos. A ação tramita perante a 1.ª Vara de Fazenda Pública da comarca e aguarda decisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário